‘Ela saiu de uma facção para voltar para a igreja por causa do filho’, diz irmã de mulher decapitada no AC

Agora nosso coração está em paz, porque pelo menos sabemos onde ela está e a gente vai ter um corpo para velar e a minha mãe vai ter um caixão pra chorar”.

O desabafo foi da secretária Sarah Bessa (21), após encontrar o corpo da irmã com várias perfurações e decapitado em uma área de difícil acesso no bairro Caladinho, em Rio Branco.

Débora Bessa (19), havia sido sequestrada ainda na terça-feira (9), durante um assalto a um mototaxista que ela havia pegado para se dirigir até a parte alta da cidade. A família chegou a registrar um boletim de ocorrência. Mas, foi a própria irmã e outros parentes que encontraram o corpo de Débora no sábado (13).

O corpo foi encontrado em uma área de mata, por onde passa um igarapé. “A gente recebeu ligações relatando de que ela teria sido morta, esquartejada e enterrada em uma cova rasa. Aí tivemos várias outras informações de onde seria o local mais ou menos. E a gente foi seguindo as pistas”, contou a irmã ao encontrar o corpo de Débora.

O corpo foi retirado com a ajuda de populares. Débora foi decapitada e sofreu várias perfurações. A perícia deve indicar se os ferimentos foram com arma branca.

Emocionada, Sarah contou que a irmã fazia parte de uma facção criminosa, mas que havia se desligado do crime para cuidar do seu filho.

“Ela saiu de uma facção para voltar para a igreja por causa do filho dela. Ela tem um filho e, se um filho não for uma motivação para uma pessoa mudar, nenhuma motivação vai ser maior do que essa. A nossa família está aqui sofrendo, eu tô tentando ser a pessoa mais fria desse mundo pra não chorar, não me desesperar, porque pelo menos eu tenho um corpo pra velar”, contou entre lágrimas.

Por: Josy Monteiro

Da Redação: avozdafronteira.com (com informações: g1.globo.com)